Governança SOA na prática

Dando continuidade a nova série de posts sobre governança, vou aproveitar a palestra que ministrei no TDC 2013 SP e acabei não postando aqui. Apesar de ter sido uma apresentação hands-on fiz um vídeo demonstrando a criação de alguns assets em uma repositório.

O principal objetivo desta palestra foi demonstrar que é possível ter os benefícios de uma governança com pouco overhead, com auxílio de ferramentas especializadas, um pouco de processo e automatização.

Naquele exemplo rápido, foi criado um asset do tipo serviço no repositório. Este passo ocorreria durante a modelagem e especificação do mesmo. Logo em seguida fiz o deploy deste serviço no Oracle Service Bus e integrei o barramento com o repositório. Este segundo passo ocorreria assim que a equipe de desenvolvimento enviasse o pacote para homologação. Desta forma apenas com um bom repositório integrado ao barramento e o mínimo de processo (criação do asset no momento da modelagem) seria possível ter os seguintes benefícios:

• Possibilita pesquisa e descobertas de serviços promovendo o seu reuso;

• Evita duplicação e melhora a sinergia entre projetos;

• Possibilita análise de impacto em alterações;

Independentemente de como é iniciado, o mais importante é garantir que as práticas de governança continuem sendo executadas e evoluídas.